Ronei Ribeiro | visualizações: 413   

Cesta Básica Individual registra alta de 1,12% no mês de outubro



 
 
 
 O custo da Cesta Básica Individual em outubro em Campo Grande registrou a importância de R$ 277,56, valor com variação alta de 1,12% em relação a setembro (quando o valor foi de R$ 274,48). Os dados são da pesquisa realizada mensalmente pela Secretaria Estadual de Planejamento (Semac). 
          O acumulado nos últimos 12 meses assinala 5,98% de variação; nos últimos seis meses, 8,80 %; e na análise deste ano (janeiro a maio) a variação no custo é de 2,72%. 
           Dentre os 15 produtos que compõem a Cesta Alimentar, sete registraram alta nos preços: tomate 13,88%; banana 9,88%; carne 3,90%; macarrão 2,44%; sal 2,27%; laranja 1,53% e leite 0,44%. Os produtos que registraram queda de preços: feijão 7,15%; alface 4,27%; batata 1,61% e açúcar 0,79%. Mantiveram seus preços inalterados: margarina, óleo, pão (francês) e arroz. 
              Análise 
           Segundo a equipe técnica da Semac responsável pela pesquisa, com a incidência de pragas nas lavouras de tomate, nas principais regiões produtoras, sua produtividade foi reduzida, o que provocou alta de preço 13,88%. Este ano não houve concentração de oferta da banana e sua qualidade foi boa, fatores que elevaram seu preço 9,88%.
 
Com a colheita da safra do feijão, seu volume elevou no mercado nacional com consequente queda nas cotações 7,15%. A intensificação da colheita da alface 4,27% e da batata 1,61% com elevado volume ofertado no mercado interno registrou queda de preços respectivamente.
 
            Comportamento nos últimos seis meses
 
          Nos últimos seis meses, os produtos que apresentaram maiores quedas nos preços foram: tomate, batata, alface, feijão e óleo.
           A pesquisa destaca também os produtos em alta neste período: banana, macarrão, leite, pão (francês) e carne. Com base nos preços encontrados, a pesquisa constatou que o trabalhador que recebe um salário mínimo de R$ 678,00 precisou comprometer 40,94% de sua renda para aquisição da Cesta Alimentar no mês de outubro.
 
            Cesta Básica Familiar
          A Semac também pesquisa o custo da Cesta Básica Familiar, composta por um painel fixo de produtos, que deve preencher as necessidades de higiene (5 produtos), limpeza (7) e alimentação (32). No mês de outubro, essa cesta de produtos apresentou alta de 0,68% em relação ao mês anterior, registrando a importância de R$ 1.263,26.
         As variações acumuladas nos últimos seis meses apresentam queda de 1,97%, no ano a variação positiva de 5,67% e nos últimos 12 meses 7,91%. Dentre os 44 produtos pesquisados que compõem a Cesta Familiar, 21 apresentaram alta de preço, 16 apresentaram queda e sete mantiveram os preços inalterados.
 
          Alimentação
 
           No grupo Alimentação, a pesquisa apresentou variação positiva de 0,64%. Alguns dos produtos em alta foram: tomate 13,98%; banana 9,87%; farinha de trigo 8,17%; mandioca 7,95%; frango 6,59%; peixe 5,22%; carne 3,90%; macarrão 2,44%; laranja 1,54% e pão doce 1,53%. No grupo de produtos que apresentaram maiores quedas nos preços, estão: cebola 22,96%; cenoura 17,10%; abobrinha 14,09%; alho 8,50%; feijão 7,14%; alface 4,26%; café 4,23%; ovos 3,73% e mamão 3,40%. Margarina, pão (francês), queijo, óleo e arroz mantiveram os preços inalterados.
 
Com a baixa produtividade nesta safra do trigo nas lavouras do Paraná e Argentina devido ao clima desfavorável, os preços continuam em alta 8,17%. A mandioca registrou baixa oferta nacional, pois se encontra no período de entressafra, assinalando altas 7,95%.
Com o excesso de cebola nacional no mercado interno, devido à intensificação da colheita no período, foi registrada queda 22,96%. Fatores climáticos foram favoráveis para a safra da cenoura aumentando o volume ofertado, reduzindo seu preço 17,10%.
 
Higiene Pessoal e Limpeza Doméstica
 
 Diferente dos alimentos, o grupo Higiene Pessoal registrou alta de 0,81%. Os produtos que contribuíram para essa elevação foram: sabonete 4,23%, dentifrício 2,70% e absorvente 1,44%. Já os produtos em queda foram: papel higiênico 1,33% e lâmina de barbear de 0,99%.
 
No Grupo Limpeza Doméstica também houve variação positiva de 1,60% nos produtos: sabão em barra 5,33%; sabão em pó 2,46%; desinfetante 2,15%; água sanitária 0,60% e cera em pasta 0,21%. Os produtos desse grupo que mantiveram seus preços inalterados foram: esponja (aço) e detergente. Em termos de renda versus salário-mínimo, houve um comprometimento de 37,26% do valor total da renda familiar, considerando cinco salários mínimos, R$ 3.390,00, para atender uma família composta por cinco membros. No mês anterior, o comprometimento registrado foi de 37,01%
 
 
 

DATA DA POSTAGEM 04/11/2013

Gostou! Compartilhe com os amigos.



Deixe seu comentário


 
 
 

 
 
         

 
procurar notícias

 
 
 
Todos os direitos reservados
redação 67 84569691
Acessos: 2675797