Ronei Ribeiro | visualizações: 1232   

Diretores da Odebrecht Agroindustrial reafirmam parceria e investimentos em MS



O governador André Puccinelli recebeu nesta segunda-feira (2) a visita do presidente da Odebrecht Agroindustrial, Luiz de Mendonça. Durante a reunião que contou com as presenças da secretária estadual de Produção, Tereza Cristina Corrêa e ainda do secretário de Obras Públicas, Edson Giroto foram discutidos diversos assuntos internos da Organização Odebrecht, assim como futuros investimentos no Estado. 
 
 
Conforme o presidente, um dos assuntos repassados ao governador foi a situação de uma geada muito forte que se abateu sobre a cana de açúcar no mês de julho. “Viemos contar como isso afetou os nossos negócios, mas nada de longo prazo. Foi uma conversa boa, de parceiros de longa data”, disse Luiz de Mendonça.
 
 
Com mais de 15 mil empregos diretos, a Odebrecht Agroindustrial tem nove Unidades em operação nos Estados de São Paulo, Goiás, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, totalizando capacidade para moer 40 milhões de toneladas de cana e produzir 3 bilhões de litros de etanol.
 
 
“Mato Grosso do Sul é o principal Estado em termos de investimentos sucroalcooleiros, então a gente sempre tem uma oportunidade de vir e discutir possibilidades e ideias de novos projetos”, comentou Luiz de Mendonça. No Estado, a Odebrecht conta com três grandes polos industriais instalados nos municípios de Nova Alvorada do Sul, Rio Brilhante e Costa Rica. “Todos voltados para a produção de etanol, cana de açúcar e energia elétrica a partir da biomassa”, explica.
 
 
 
O presidente da Odebrecht viu em Mato Grosso do Sul não só a oportunidade de incentivos para a instalação das unidades, mas o que classifica como uma nova fronteira agrícola. “É um conjunto de características que o Estado oferece. Sem dúvidas, para o nosso negócio olhando o setor agroindustrial, Mato Grosso do Sul é localizado, produtivo e tem uma tradição de longa data”, elencou.
 
 
Com novos investimentos no Estado que ainda não podem ser divulgados, Luiz de Mendonça ressalta que viu nos municípios onde estão localizadas as unidades da Odebrecht uma possibilidade de formar mão de obra, e de boa estrutura. “Temos uma boa logística, próxima do mercado consumidor. Temos um bom escoamento fluvial, além de rodovias e ferrovias. Reúne condições perfeitas. É uma nova fronteira agrícola de uma nova maneira que a gente vê”, finalizou o presidente.  

DATA DA POSTAGEM 08/09/2013

Gostou! Compartilhe com os amigos.



Deixe seu comentário


 
 
 

 
 
         

 
procurar notícias

 
 
 
Todos os direitos reservados
redação 67 84569691
Acessos: 2675844