Ronei Ribeiro | visualizações: 30   

Dois Irmãos do Buriti aposta na diversificação econômica e mais emprego com apoio do Estado



 
 
Asfalto em execução pelo Governo do Estado ligará o centro urbano da cidade ao núcleo industrial
  
 
 O asfaltamento de 3,4 km da estrada vicinal que liga o centro da cidade ao polo industrial e o apoio do Governo do Estado na reativação do frigorífico de peixes, fechado há 12 anos, vão mudar o perfil econômico de Dois Irmãos do Buriti, distante 98 km de Campo Grande.
 
O prefeito Edilsom Zandona de Souza, o Manguinha, aposta em um novo momento para o município, com incremento na receita, oportunidades de empregos e diversificação da economia.
 
“Em um momento de crise, estamos vivenciando um avanço muito significativo para nossa região com esses investimentos do Governo do Estado”, disse o prefeito.
 
Segundo ele, em encontro com o governador Reinaldo Azambuja em janeiro deste ano, com a participação dos vereadores, o município elencou a reabertura do frigorífico de peixes como uma das suas prioridades.
 
 
Prefeito de Dois Irmãos do Buriti, Edilsom Manguinha: “Nossa meta é abastecer o Estado com peixe e ter a certificação para exportar”.
“Agora, esse grande sonho tornou-se realidade, com o governador cumprindo compromisso conosco”, acrescentou Manguinha. “O mais importante disso tudo é dar emprego aos nossos jovens.”
 
Recursos e apoio técnico
 
Na semana passada, o governador Reinaldo Azambuja autorizou o repasse de R$ 405,8 mil à prefeitura de Dois Irmãos do Buriti, por meio do Fundo Estadual de Apoio à Industrialização (FAI), para a compra de equipamentos para o frigorífico, que volta a operar em fevereiro de 2018 com abate de uma tonelada/dia de pintado e pacu.
 
A unidade industrial pertence ao município e será operada pela empresa Pescado Buriti, que integra o bem sucedido Projeto Pacu. O gerente da indústria, Jonas Pereira, estima que a retomada das atividades vai gerar mais de 150 empregos diretos e indiretos e prevê a médio prazo abater seis toneladas/dia.
 
 
Em primeiro plano, o frigorífico de peixe; ao fundo, o abatedouro de boi: polo industrial ganha infraestrutura e incentivos do Estado.
O frigorífico foi instalado há 12 anos, mas nunca operou por má gerenciamento no passado, o que deixou a prefeitura inadimplente e impedida de receber recursos federais de emenda parlamentar destinada ao projeto. O desbloqueio somente foi possível via ação judicial.
 
Por determinação do governador Reinaldo Azambuja, os órgãos estaduais de apoio técnico e inspeção – Iagro e Agraer – darão total assistência ao empreendimento, inclusive na abertura de novos tanques de piscicultura, e na elaboração do diagnóstico agroindustrial do município.
 
Atrair novas indústrias
 
A chegada da infraestrutura, com a pavimentação de um trecho da avenida principal da cidade e o acesso pela estrada vicinal até a entrada do frigorífico, obra em andamento com recursos (R$ 6 milhões) do Fundersul (Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário de MS), era a benfeitoria tão esperada para atrair novos empreendimentos, segundo o prefeito.
 
 
Dona Maria Magalhães: “nossa cidade está melhorando, faltava o emprego”.
“Já estamos planejando dobrar a área destinada às indústrias”, anunciou Manguinho, informando que a prefeitura pleiteia sete hectares de uma área do Estado para ampliar o núcleo, hoje com oito hectares.
 
Além do frigorífico de peixes, o núcleo industrial conta ainda com mais duas unidades do município, um frigorífico de bois, em pleno funcionamento, e um laticínio, que hoje produz apenas mussarela.
 
A empresa concessionária da unidade bovina já projeta investir R$ 1,5 milhão em 2018, ampliando o abate diário de 170 para 300 animais, e o município quer atrair indústria de sucos para beneficiamento dos 500 hectares de laranjas em cultivo na região.
 
 
Diarista Dorival Martins: “o Governo e a Prefeitura estão trazendo mais empregos”.
Vai melhorar toda vida
 
“O asfalto garantido pelo governador vai atrair novas empresas e devemos estar preparados para a contrapartida”, pontuou Manguinha. Ele acrescentou que uma fábrica de material reciclável está em fase de implantação no município e abrirá mais 30 empregos.
 
Atualmente, o polo é o maior empregador, depois da prefeitura. São 80 vagas oferecidas pelo frigorífico de boi e agora mais 40 com o beneficiamento do peixe. O comércio contribui com mais 40 vagas.
 
A população local aguarda com muita expectativa a chegada de novas indústrias e a expansão do agronegócio puxado pelos grandes produtores e parceleiros de quatro assentamentos rurais, com os incentivos e investimentos do Governo do Estado.
 
 
Instalado em 1989, Dois Irmãos do Buriti tem uma população de 11 mil habitantes, com quatro assentamentos rurais e sete aldeias indígenas.
“Vai melhorar toda vida com essa ajuda do nosso governador”, diz o morador Dorival Martins, 62, que trabalha de diarista. “A gente aqui carece muito de emprego, dois filhos meus foram trabalhar em Rio Brilhante e Nova Alvorada”, conta.
 
A dona de casa Maria Marcele Magalhães, 56, também está feliz com as boas notícias. “Emprego aqui é pouco”, observa ela, cujo filho de 20 anos trabalha de servente em uma obra. “O movimento está grande, tem asfalto novo e tão falando até na abertura do frigorífico de peixe”, comenta.
 
 

DATA DA POSTAGEM 14-10-2017

Gostou! Compartilhe com os amigos.



Deixe seu comentário


 
 
 

 
 
         

 
procurar notícias

 
 
 
Todos os direitos reservados
redação 67 84569691
Acessos: 2628660