Ronei Ribeiro | visualizações: 1988   

"Jeca Tatu" encerra hoje a Mostra Mazzaropi no MIS



A Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul realiza de 9 a 13 de setembro (segunda a sexta) no Museu da Imagem e do Som a Mostra Mazzaropi. As exibições acontecem sempre às 19 horas, são gratuitas e fazem parte do projeto CineMIS.
 
Com curadoria de Pietro Luigi, a Mostra Marazzopi contará com produções importantes da carreira de um dos maiores personagens do cinema brasileiro. Amácio Mazzaropi (1912-1981) iniciou a carreira no Teatro na década de 1940, encenando peças no interior de São Paulo com a Troupe Mazzaropi. Em 1946 estreia um Programa na Rádio Tupi chamado Rancho Alegre, que vai para a TV Tupi em 1950.
 
Em 1952 Mazzaropi lança seu primeiro filme, Sai da Frente, pela Companhia Cinematográfica Vera Cruz. Neste mesmo ano, o ator vende sua casa e funda o estúdio PAM – Produções Amácio Mazzaropi, na região rural de Taubaté. Ali, criou um dos maiores estúdios da américa latina dos anos 1970, onde filmou parte de seus 33 filmes.
 
O cinema produzido por Mazzaropi era voltado para a cultura popular, direcionado para as grandes massas que se identificavam com a linguagem criada pelo artista. Uma mescla de comédia pastelão com elementos da cultura regional, sua personagem de maior sucesso era a figura do caipira, o Jeca. A partir dele Mazzaropi criou diversas aventuras com o mesmo mote: o olhar do homem interiorano frente a temas contemporâneos e figuras da cultura popular tratados com a leveza da comédia.
 
Os filmes escolhidos para a Mostra cobrem três décadas da produção do cineasta: desde a década de 1950, o início da carreira (A Carrocinha e Jeca Tatu), passando por 1960 (O Lamparina) até 1970 (Betão Ronca Ferro e Jeca contra o capeta).
 
“Os filmes escolhidos estão entre os de maior repercussão, que consagraram Mazzaropi como um dos maiores realizadores do cinema brasileiro”, explica Pietro Luigi. Apesar do grande sucesso de público, a crítica de cinema considerou os filmes de Mazzaropi como superficiais e de pouca qualidade. Principalmente por não tratar da crítica social com profundidade, por não ser um cinema “engajado”.
 
Apesar disso, o conjunto da obra é muito importante para o cinema brasileiro. “A figura de Mazzaropi é marcante por ter levado a cultura popular para o cinema, contribuindo com a formação da identidade cultural do povo brasileiro. Prova disso é o reconhecimento do Prêmio Culturas Populares do governo federal, que este ano homenageou o cineasta com a Edição Mazzaropi”, analisa Américo Calheiros, presidente da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul. 
 
 
 
 
13 de setembro - Jeca Tatu
 
Jeca é um roceiro preguiçoso de dar dó, mas esta preguiça está com os dias contados, pois seu ranchinho está ameaçado pela ganância de latifundiários sem coração. Agora ele vai usar todo seu jeito matreiro para conseguir seu cantinho de terra. Um clássico da filmografia de Mazzaropi. Às vezes engraçado, em outros momentos de uma beleza tocante, ele trata com muita singeleza a figura do homem do campo e a questão da reforma agrária neste filme que é uma declarada homenagem do Mazza ao conterrâneo Monteiro Lobato.
 
Direção: Milton Amaral (Comédia, 95 min., 1959).
 
Serviço: O projeto CineMIS Mostra Mazzaropi acontece de 9 a 13 de setembro no Museu da Imagem e do Som, que fica no Memorial da Cultura e da Cidadania, na avenida Fernando Correa da Costa, 559, 3º andar. Os filmes serão exibidos sempre às 19 horas e a entrada é franca. Informações pelo e-mail mis@fcms.ms.gov.br e pelo telefone 3316-9178.

DATA DA POSTAGEM 13/09/2013

Gostou! Compartilhe com os amigos.



Deixe seu comentário


 
 
 

 
 
         

 
procurar notícias

 
 
 
Todos os direitos reservados
redação 67 84569691
Acessos: 2675656